SC Braga quer fim da Taça da Liga e critica “subserviência a três clubes”

Portugal

SC Braga quer fim da Taça da Liga e critica “subserviência a três clubes”

Minhotos desagradados por causa de marcação de jogo contra o Boavista da 9.ª jornada

O SC Braga está revoltado com a Liga de Clubes devido ao agendamento do duelo contra o Boavista, relativo à 9.ª jornada do campeonato. Os bracarenses teriam acordo com os boavisteiros mas, depois de alguns avançou e recuos, o jogo acabou por não ficar marcado para o final de dezembro, como os minhotos pretendiam por causa de estarem a disputar as competições europeias.

Em comunicado, o SC Braga faz um conjunto de críticas e nota “mais uma clara demonstração de submissão aos antigos poderes do nosso futebol e de falta de coragem perante os interesses instalados e aos quais esta Direção tem mostrado uma estranha obediência”.

Os minhotos falam ainda de uma “hipocrisia que reina no futebol português, onde todos enchem a boca para reclamar o incremento da sua competitividade, mas onde se usa de todos os expedientes para que se cumpra a vontade do status quo instalado, nem que para tal a Direção da Liga ignore e viole o Regulamento de Competições aprovado pelos clubes.”

No comunicado, o SC Braga aponta criticas a Pedro Proença e não só. “O SC Braga não pode calar a sua revolta perante a postura revelada em todo este processo pela Direção da Liga Portugal, pela sua Diretora Executiva, Helena Pires, e pelo seu Presidente, Pedro Proença, ficando também muito clara a farsa em que se transformou o futebol português.”

Para os minhotos, esta questão “ajuda a explicar a grande perda de competitividade das equipas e dos campeonatos” dado que o “interesse superior que é constantemente secundado pela eterna subserviência a três clubes e aos seus caprichos hegemónicos”.

Aqui chegados, o clube arsenalista revela que “abandonará, de imediato, a Comissão Permanente de Calendários e retira a sua confiança a esta Direção”.

O SC Braga diz ainda que irá trabalhar para o fim da Taça da Liga que mais não é que “um mero sorvedouro de fundos para alimentar as vaidades da Liga e a sua ânsia de protagonismo”.

“Não deixará de questionar a sustentabilidade dos quadros competitivos, manifestando desde já a sua posição quanto à não continuidade da Taça da Liga, a exemplo do que aconteceu em França, e como conclusão dos condicionalismos que esta prova está a colocar aos calendários dos clubes nacionais”, pode ler-se no comunicado.

Fonte: https://bancada.pt

Partilhar:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter