«Mandei embora 42 jogadores»

José Sousa Cintra analisou o período em que esteve à frente da SAD do Sporting, e afirma que “melhor não podia ser.”

“Esta era a equipa que idealizava, muito forte, um plantel com qualidade. Fomos buscar alguns à nossa casa, vê-se agora o Jovane, que estava com um vencimento muito baixo que não se justificava e o Sporting não quer especulações”, começou por dizer Sousa Cintra, garantindo que, apesar de muitos alvos terem caído por terra no mercado, “todos os jogadores com quem falou queriam vir”: “Mas não ia comprar jogadores sem o aval do treinador. [Muriel] Seria um dos jogadores. Nós é que não o quisemos contratar. Havia diálogo mas o nosso treinador teve alguma culpa nisso, primeiro queria o jogador e depois já não e depois queria ver outros. Depois chegámos à conclusão que não valia a pena mandar vir só por vir.”

Ainda nesse sentido, Sousa Cintra explicou que Viviano esteve para ser transferido – “se houvesse proposta boa teria saído” – mas rejeitou que alguma vez tivesse equacionado ir buscar outro guardião: “Fiz contrato com um miúdo de 14 anos que já lá estava que é um fenómeno. Mandei 42 jogadores embora, todos profissionais, e comprei meia dúzia.”

Ainda sobre o plantel, sublinhou que “não gastou nem 10 milhões de euros” e que os jogadores que rescindiram e voltaram não foram aumentados: “Ganham o que ganhavam, houve algumas alterações mas o Bruno Fernandes ganha exatamente o mesmo. Quis aumentá-lo mas não ele não quis. Eles gostam do Sporting, se assim não fosse não voltavam.”

Partilhar:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter