CONIFA2020: o Mundial de Futebol dos ‘sem terra’ terá seleções como Transcarpátia, Mapuches, Cabília e Cornualha

O próximo verão vai ser rico em eventos desportivos. Tóquio vai receber os Jogos Olímpicos de verão, há o Europeu de futebol que se jogará em 12 cidades da Europa e a América do Sul irá vibrar com a Copa América. Mas nem só de Jogos Olímpicos e de Euro se vive no verão.

De 30 de maio a 7 de junho, a Macedónia do Norte irá receber a quarta edição da CONIFA, o Mundial de Futebol das nações, dependências, estados não reconhecidos, minorias, povos sem estado, regiões e pequenas nações não filiadas na FIFA. A CONIFA é formada por 59 membros: 30 da Europa, 12 da Ásia, nove de África. Oceania, América do Norte e América do Sul tem quatro membros cada.

A edição de 2020 estava agendada para Somalilândia (parte da atual Somália) mas teve de ser transferida para a Macedónia do Norte, cidade de Skopje.

São 16 as seleções já confirmadas na prova: Transcarpátia, Curdistão (substitui o Saara Ocidental), Ossétia do Sul, Mapuches, Darfur, Matabelelândia, Cabília, Tamil Eelam, Panjabe, Coreanos no Japão, Chargos, Arménia Ocidental, Cornualha, Paróquias de Jersey, Cascádia e Mariya (antigas nações australianas).

Ficou decidido, em janeiro de 2019, na reunião anual da CONIFA (Confederação de Futebol de Associações Independentes, em Confederation of Independent Football Associations, CONIFA) em Cracóvia, Polónia, que o quarto Mundial dos povos sem terra seria realizado na Somalilândia, cujo povo declarou a sua independência da Somália em 1991, mas ela não foi aceite. Depois da desistência da Somalilândia em receber a prova, por motivos de logística, a Cornualha ofereceu-se para ficar com a organização mas a escolha acabou por ser na Macedónia do Norte, que não é membro da CONIFA.

O organismo atribui o número de vagas para cada continente, de acordo com a percentagem de membros da CONIFA que vêm desse continente. A Europa participa no Mundial com quatro seleções, incluindo uma vaga para a vencedora do Europeu de futebol para seleções sem terra. Ásia e África têm três vagas cada uma, e a América do Norte, América do Sul e Oceania têm uma vaga cada.

Além disso, a Confederação de Futebol de Associações Independentes reserva uma vaga para atribuir a uma seleção. A Transcarpátia, que venceu a última edição da prova, já tinha garantido um lugar na fase final de 2020. Com a desistência da Somalilândia (já estava qualificada como anfitriã), abriu-se mais uma vaga que foi convertida ‘wild card’ e atribuída à Seleção do Arquipélago de Chargos.

Estas 16 seleções estão dividas em quatro grupos de quatro equipas cada. Os dois primeiros classificados passam para os quartos-de-final. O sorteio da fase de grupos foi realizado a 26 de janeiro de 2020, em Jersey, durante a Assembleia-geral Anual da CONIFA.

Paróquias de Jersey, Mapuche, Cornualha e Mariya (primeiras nações australianas) fazem a sua estreia no Mundial CONIFA.

A organização conseguiu que a prova fosse patrocinada pela casa de apostas Sportsbet.

Os jogos do Euro de futebol da CONIFA foram transmitidos na plataforma MyCujoo.

Eis os grupos

– Grupo A: Paróquias de Jersey, Panjabe, Curdistão, Arquipélago de Chagos

– Grupo B: Transcarpátia, Arménia Ocidental, Tamil Eelam, Cabília

– Grupo C: Mapuches, Matabelelândia, Cornualha, Mariya (primeiras nações australianas)

– Grupo D: Ossétia do Sul, Cascádia, Coreanos no Japão, Darfur

Fonte: https://sapo.pt

Partilhar:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter