“Administradores vão ser aumentados quando os adeptos se esquecerem do assunto”

Portugal

“Administradores vão ser aumentados quando os adeptos se esquecerem do assunto”

Bruno de Carvalho critica o aumento de salários aprovado em assembleia de acionistas do Sporting

No seu novo espaço de comentário que estreou nesta sexta-feira, na Rádio Estádio, Bruno de Carvalho teceu críticas a Frederico Varandas, acusando-o de estar “fechado no seu mundo”, com “um discurso miserabilista que não colhe, junto dos adeptos”.

O ex-presidente do Sporting comentou a entrevista do atual líder à SIC e considera que Frederico Varandas manifesta “desconhecimento” sobre a realidade do clube.  

“Vi uma pessoa muito nervosa e pouco conhecedora dos dossiês, que vive uma realidade que está afastada daquela que é vivida pelos adeptos. Mostrou-se fragilizado e muito limitado às suas convicções, com uma linguagem corporal que denota nervosismo. Está fechado no seu mundo e não consegue mostrar o que pretende”, aponta.

Bruno de Carvalho rebate a argumentação de Varandas na questão financeira. E garante que o clube “tinha capacidade para resolver os problemas”.

“Pelas suas palavras, ‘salvou o Sporting de uma falência’. Não consigo compreender que Frederico Varandas tenha um discurso virado para a salvação do Sporting, porque essa não era a realidade. A entrevista foi apoiada em alicerces que não são verdadeiros. O Sporting, financeiramente, estava em crescimento”, sustenta.

Frederico Varandas “tem de trilhar o seu caminho e não se pode apoiar em factos que não são realidade”.

“Este discurso miserabilista não colhe. Os adeptos tinham informação sobre tudo”, realça, recordando que assinou um artigo no Diário de Notícias onde esclareceu, em detalhe, qual era o cenário que a SAD leonina tinha pela frente.

Sobre as rescisões de contrato, “tiveram um impacto de cerca de 26 milhões de euros”.

“Em termos de ativo, os jogadores formados não têm valorização. Não concordo com estas regras, mas são estas que vigoram. Bastaria uma venda de um atleta e teríamos resolvida a questão dos ativos”, defende.

Já o aumento do salário dos administradores, recentemente aprovado em assembleia de acionistas, merece críticas.

“Os sócios não tiveram uma palavra a dizer. Foi Frederico Varandas que decidiu. O que é que vai acontecer? Os administradores vão ser aumentados quando quiserem, quando os adeptos se esquecerem do assunto”, antevê.

A parceria com o Batuque, que tem dominado a agenda mediática na esfera leonina, é clarificada:

“O protocolo com o Batuque é normalíssimo. Envolveu pagamento de uma verba de 300 mil euros, onde o Sporting tinha direito de preferência sobre todos os jogadores do Batuque – um clube que formou, por exemplo, Zé Luís, avançado do FC Porto. O protocolo estava no Relatório e Contas do Sporting”, explica.

Este assunto gera uma dúvida a Bruno de Carvalho, que pede esclarecimentos sobre outras parcerias, em particular a que foi estabelecida com o Wolverhampton.

“O que teria sido interessante era explicar o protocolo com o Wolverhampton… Wang [jogador cedido pelo emblema inglês] não fez nenhum jogo pelo Sporting e os adeptos e acionistas ainda não viram retorno dos dois milhões pagos. Foi, hipoteticamente, um pagamento encapotado à Gestifute” acusa Bruno de Carvalho.

Fonte: https://bancada.pt

Partilhar:
Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter